Quarta-Feira, 15 de Junho de 2016 - 16:34 (Hidreletricas do Madeira)

L
LIVRE

USINA HIDRELÉTRICA JIRAU É DESTAQUE EM TESTE DE BLACK START

Os resultados apontam Jirau como a hidrelétrica mais rápida em restabelecer o funcionamento em caso de blackouts


Imprimir página

A Usina Hidrelétrica Jirau alcançou a sincronização de 13 Unidades Geradoras (UG’s) em apenas 16 minutos durante o teste denominado Black Start, que consiste em restabelecer o funcionamento da Usina em casos de desligamentos completos (blackouts) sem alimentação externa. O teste foi realizado na madrugada desta segunda-feira (13) e aprovado pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) mediante o excelente resultado obtido.

Para o Diretor de Operação da Energia Sustentável do Brasil (ESBR), Isac Teixeira, este foi mais um desafio vencido na UHE Jirau e provavelmente também foi um recorde nacional. “Ter que vencer desafios tem sido uma situação constante para nós. Dessa vez obtivemos um alto desempenho no Black Start com 13 máquinas e em um curto espaço de tempo. Certamente somos um caso inédito no país e isso é fruto de muito trabalho dos profissionais de manutenção, operação, engenharia e planejamento da nossa empresa, que demonstraram garra, competência e harmonia no trabalho em equipe”, ressaltou Teixeira.

Técnicos do ONS e da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) estiveram na Usina para acompanhar a equipe da ESBR durante os trabalhos nessa segunda-feira e ficaram admirados com o rápido tempo alcançado. A ESBR sincronizou as 13 UG’s entre si e energizou uma linha de transmissão que vai até a Subestação Coletora Porto Velho, conectando ao Sistema Interligado Nacional. Tudo em apenas 16 minutos.

O Coordenador dos Testes pelo ONS, Ivan Ferreira Verboonen, juntamente com os técnicos Ivandi Santana da Cruz, também do ONS, Hermann Friedenberg de Lemos e Odair José Manfroi da ANEEL, parabenizaram a equipe da ESBR e demonstraram satisfação pelo serviço executado. “Durante todo o tempo a equipe manteve a tranquilidade e transmitiu bastante confiança nos trabalhos. O resultado foi consequência do profissionalismo de cada um”, disse Ivan Verboonen.

Pelos procedimentos de rede elaborados pelo ONS existe uma rotina operacional que regulamenta esse tipo de teste. Essa rotina determina que as usinas que já passaram pelo Black Start comprovem seu funcionamento realizando-o novamente todo ano. Esta já é a terceira participação da UHE Jirau no Black Start. A primeira foi em fevereiro de 2015, quando recompôs as UG’s em 53 minutos e a segunda vez em dezembro do mesmo ano, restabelecendo 13 máquinas em 42 minutos.

A UHE Jirau terá capacidade instalada de 3.750 MW quando concluída, energia suficiente para abastecer mais de dez milhões de residências. A plena operação comercial das 50 unidades geradoras está prevista para o segundo semestre deste ano.

Fonte: usina hidrelétrica jirau

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias