Terça-Feira, 16 de Janeiro de 2018 - 17:30 (Artigos)

L
LIVRE

SINALIZAÇÃO DE TRÂNSITO E SEUS BENEFÍCIOS PARA O TRÁFEGO NAS VIAS PÚBLICAS

Os acidentes geram diversos transtornos para a sociedade. Nesse sentido, não é difícil ver diversos estudos que demonstram que em vias bem sinalizadas a incidência desses é relativamente menor que em outras vias de mesmo porte, porém não sinalizadas.


Imprimir página

A sinalização de trânsito, segundo o Código de Trânsito Brasileiro - CTB, é definida como um conjunto de sinais de trânsito e dispositivos de segurança colocados em trechos da via pública com o objetivo de garantir que a mesma seja utilizada de modo adequado garantindo assim, maior segurança àqueles que a utilizam.

Esta sinalização pode ser classificada em diferentes modalidades, sendo estas: sinalização vertical, sinalização horizontal, dispositivos de sinalização auxiliar, sinalização semafórica, sinais sonoros e até mesmo gestos. Dentro da sinalização vertical estão compreendidas as placas de regulamentação, advertência, educativa e indicativa podendo estas serem implantadas em suportes de madeira, tubos, pórticos e semi pórticos e em colunas com braços projetados.

A sinalização horizontal compreende a pintura de faixas horizontais, faixas de pedestres, setas, zebrados, símbolos e legendas, além de dispositbos refletivos como tachas refletivas mono/bidirecional e elementos de vidro com 360° de refletância. Quanto ao material utilizado na pintura de vias, existem uma gama de materiais que são aplicados de acordo com a exigência de tráfego e condições do ambiente, qualidade da malha asfáltica, condicões de visibilidade, velocidade de projeto e capacidade de transporte da via, no qual o materiais mais utilizados são: tinta acrílica à base de resina, tinta acrílica à base de água, tinta termoplástica à quente e a frio, tinta metácrílica bi e monocomponente, entre outros.

A sinalização semafórica é um sistema de sinalização viárias que utiliza de sinais luminosos com a função de regulamentar o direito de passagem de veículos e/ou pedestres e também advertir os mesmos sobre a existência de obstáculos ou situação de perigo na via.

A sinalização semafórica é composta basicamente por um conjunto de indicações luminosas (grupo focal para veículos e grupo focal para pedestres) e botoeiras pelo qual são ativados e controlados eletronicamente por um por um dispositivo conhecido por controlador eletrônico. Em situações específicas, devido a demanda, a gestão e controle de tráfego pode ser auxiliada por meio de outros mecanismos como dispositivos de detecção do tráfego e central de controle de tráfego.

Compreende-se então que, a sinalização horizontal, vertical e semafórica em funcionando harmonicament emconjunto são quem regulamenta o trânsito, adverte os usuários das vias sobre situações de risco, indica serviços, locais, distâncias e regulamenta os sentidos de fluxo, velocidade máxima permitida, parada obrigatória, entre outras informações necessárias para garantir um trânsito seguro e ordenado. Mas, porque a sinalização é importante? Quais benefícios pode trazer para a sociedade?

Uma vez compreendido em que consiste a sinalização de trânsito, seu objetivo e funções, é importante ressaltar a sua importância, pois muitos ignoram o real valor da sinalização das vias. Um trânsito bem sinalizado é um trânsito organizado e com menos incidência de acidentes, pois muitos acidentes ocorrem devido à má sinalização, mas principalmente pela total inexistência da mesma.

Segundo a estimativa da OMS (Organização Mundial de Saúde), em 2020 os acidentes de trânsito serão o terceiro maior problema de saúde pública em escala mundial, perdendo apenas para doenças coronarianas e para a depressão. Segundo dados do Ministério da Saúde, em 2016 (últimos resultados publicados) foram cerca de 37.300 mortos e cerca de 208.000. Analisando esses dados, significa dizer que são 101 mortes e 570 acidentes por dia.

Segundo dados do IPEA, o governo gasta cerca de R$ 90.000,00 por vítimas não fatais,  e esse valor sobe para R$ 550.000,00 nos casos de vítimas fatais. Tais gastos que podem chegar a 40 bilhões de reais por ano poderiam ser convertido e investidos em educação de trânsito e sinalização de trânsito, visto que em torno de 75% dos acidentes são causadas pelo homem e 13% por deficiências nas vias e outras causas.

A sinalização viária não impede com o máximo grau de eficiência a incidência de acidentes por haver condições externas envolvidas (fator humano, condições da malha asfáltica e defeitos mecânicos nos veículos), mas sem a devida sinalização a circulação nas vias se tornaria perigosa e violenta em demasia. Podemos observar um caso em especial como o Plano Passos Seguros implementados no Município do Rio de Janeiro em 2015, no qual reduziu em até 30,5% dos acidentes na região implantada.

Nesse sentido, não é difícil ver diversos estudos que demonstram que em vias bem sinalizadas a incidência desses é relativamente menor que em outras vias de mesmo porte, porém não sinalizadas.

A necessidade de sinalização, bem como a sua importância é fato tão inegável que dificilmente se vê ruas sem sinalização, em especial aquelas que apresentam grande tráfego de veículos, visto que é nessas vias que a sinalização é ainda mais necessária para organizar o trânsito e, consequentemente, maior segurança aos usuários. Porém isso de fato muitas não ocorre, pois os governantes e responsáveis técnicos não investem o suficiente na sinalização e educação de trânsito, pois acreditam ser expensivo demais para um retorno incerto. Como vimos anteriormente, os gastos com acidentes de vítimas fatais e não fatais são imensamente maiores, e ainda se considerarmos que o custo médio por quilômetro de sinalização horizontal e vertical para uma via de tráfego médio/pesado e com durabilidade média de 1,5 anos custaria em torno de R$ 23.000,00 (estimativa elaborada por este autor) e para cada intersecção semafórica custaria em torno de 60 mil reais, observamos então que o investimento com sinalização de trânsito seria pequeno comparado aos custos e danos muitas vezes irreparáveis causados ao país e à muitas famílias.

Se mesmo com a sinalização, mesmo que em precárias condições, pessoas avançam sinais de trânsito, invadem a preferencial, e não respeitam as demais sinalizações, é possível imaginar o caos que seria se esta não existisse. Acidentes podem ocorrer a qualquer momento e em qualquer lugar, mas buscar formas de prevenir que estes ocorram ainda é a melhor coisa a se fazer para que se possa ter um trânsito cada vez mais seguro.

Maikon Batista de Andrade – Engenheiro Civil – Faculdade Faro – Assessoria na área de gestão de tráfego viário, sinalização viária e mobilidade urbana.- trabalha na empresa Sinaltran-Sinalização e Tecnologia Viária

Fonte: Maikon B.de Andrade/Newsrondonia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias