Quinta-Feira, 04 de Janeiro de 2018 - 18:11 (Cidades)

L
LIVRE

RIO MADEIRA JÁ ESTÁ QUASE TRÊS METROS ACIMA DA MÉDIA PARA ESTE PERÍODO

Comportamento semelhante foi observado durante a cheia histórica de 2014, entretanto, ainda é muito cedo para afirmar que teremos uma cheia igualmente severa neste ano.


Imprimir página

PORTO VELHO – No final da tarde de segunda-feira, durante um passeio pela ponte do Madeira na saída para Humaitá, fiquei impressionado com a velocidade com que o rio subiu mais ou menos 3, metros em menos de três dias. Tive um presságio de que, de repente, estamos na iminência de outra grande cheia, tal qual a de 2014. Agora vem o alerta do Serviço Geológico Brasileiro sobre a sabida rápida do Madeirão.

O Serviço Geológico do Brasil (CPRM) registrou na última terça-feira (02), cota de 13,41 metros do rio Madeira, em Porto Velho. Esse número representa uma máxima histórica para esse dia do ano e elevação 2,67 metros acima da média. Os dados foram registrados pelo Sistema de Alerta Hidrológico da Bacia do Rio Madeira (SAH-Madeira), operado pela CPRM e com apoio da Agência Nacional de Águas (ANA).

Comportamento semelhante foi observado durante a cheia histórica de 2014, entretanto, ainda é muito cedo para afirmar que teremos uma cheia igualmente severa neste ano.

De acordo com o engenheiro da CPRM, Giancarlo Bonotto, responsável pelo Sistema de Alerta Hidrológico da Bacia do Rio Madeira, as fortes chuvas registradas na Bolívia nas últimas semanas são as principais responsáveis pelos altos níveis observados em Porto Velho e ilustram a influência que o “La Niña” (temperatura abaixo da média na superfície do Oceano Pacífico) exerce na região.

As previsões meteorológicas da National Oceanic and Atmospheric Administration (NOAA) indicam que continuará caindo chuvas acima da média na região dos rios Beni, Mamoré e Guaporé nas próximas duas semanas. “Para nós, isso indica que a tendência de subida de maneira geral deve permanecer”, alerta o engenheiro da CPRM. O SAH-Madeira está em operação com a emissão de boletins semanais e plantões de monitoramento.

Monitoramento Hidrológico de Rondônia é uma atividade desenvolvida pela Residência de Porto Velho, com vistas as demandas de segurança social e patrimonial relacionadas a eventos danosos de cheias e secas excepcionais.

O processo é fundamentado no acompanhamento das variações de níveis de água em várias estações fluviométricas consideradas estratégicas. O produto dessa atividade permite aos órgãos de defesa civil tomar as decisões necessárias para evitar ou minimizar os potenciais danos decorrentes de fenômenos hidrológicos extremos.

Fonte: 010 - expressaorondonia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias