Terça-Feira, 05 de Junho de 2018 - 11:55 (Colaboradores)

L
LIVRE

POLÍTICA & MURUPI: PONDO AS BARBAS DE MOLHO

As mortes entre jovens da capital servem de alerta, os assaltos aumentaram e o advogado Marcos Vilela está com um alvo nas costas.


Imprimir página

FRASE DO DIA:

“O governo não interfere na política de preços da Petrobras”. – Ministro Eliseu Padilha

1-Pondo as barbas de molho

A Acre perdeu a guerra e a coisa se complicou nas fronteiras com Bolívia e o Peru. A Globo mostrou no domingo que os homicídios cresceram mais de 150% em três anos e a tendência é que o mal já enraizado se espalhe.

Em Manaus a violência ressurgiu com a greve de ônibus, depredação de 60 veículos e polícia teme que as facções que dominam a região e promoveram a barbárie no início do ano resolvam tocar o horror a partir da cadeia. E nós como estamos? As mortes entre jovens da capital servem de alerta, os assaltos aumentaram e o advogado Marcos Vilela está com um alvo nas costas. “Se a barba do vizinho arde em chamas o melhor é colocar a nossa de molho”.

2-A bruxa anda solta

Mas a coisa está mais feia que isso aí. No Triângulo Mineiro, Alto Paranaíba e Sul de Minas Gerais ocorreram ataques a ônibus e locais públicos com mais de 40 veículos incendiados e vandalizados desde domingo à noite.

No fim de semana o fogo destruiu ônibus e veículos e a polícia dos dois estados apura se a ordem saiu de presídios que são mantidos com os impostos cobrados do povo e comandados com mão de ferro por facções criminosas.

3-Manda quem pode mas...

A relação entre alguns juízes do STF e os de primeira instância anda esquisita. Ontem o juiz Marcelo Bretas oficiou ao Dr. Gilmar Mendes, dizendo que a corrupção não pode ser vista como crime menor. Em questão de dias o ministro Gilmar mandou soltar 19 pessoas que foram presas por ordem do juiz Bretas e aplicou medidas cautelares pois as prisões não se justificariam.

“Vivemos tempos estranhos” como diz o ministro Marco Aurélio. Prende quem pode menos, solta quem pode mais e a impunidade campeia.

4-Férias eleitorais

Campanhas eleitoral nem sempre é cara, cansativa e desgastante. Quem é servidor público pode dar um jeito “jaboticabal” e ganhar sem trabalhar. 

O servidor tem direito a uma licença remunerada para participar da eleição. É rápido e fácil: basta entregar no local de lotação o pedido de licença e certidão que comprove o registro da candidatura e aí pode fazer campanha, ser cabo eleitoral de alguém, ensacar vento ou pescar. Todo dia. É tudo legalizado.

5-Fake News sobre rodas

O WhatsApp enlouqueceu ontem. Uma nova “greve de caminhoneiros” estaria prestes a ser deflagrada. Pontos estratégicos do Rio Grande do Sul, Bahia, São Paulo, Minas Gerais Rio Grande do Sul, Paraná, Goiás Brasília (Estádio Mané Garrincha) estariam coalhados de caminhoneiros.

Apenas mensagens de voz sem fotos, vídeos, nada para comprovar a veracidade das notícias. Tudo fake-news. Mas a insatisfação continua...

leoladeia@hotmail.com

Fonte: Leo Ladeia/NewsRondônia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias