Terça-Feira, 09 de Janeiro de 2018 - 16:13 (Cultura)

L
LIVRE

OURO PRETO - A FÉ QUE CANTA E DANÇA

A festa rende homenagem ao Chico Rei, personagem da história oral de Ouro Preto do século XVIII, rei e sacerdote africano, capturado pelos portugueses junto com sua família e súditos e enviado ao Brasil para ser vendido como escravo.


Imprimir página

Em Ouro Preto, uma das mais tradicionais celebrações é a Festa do Reinado de Nossa Senhora do Rosário e Santa Efigênia, que acontece neste ano de 7 a 14 de janeiro, e tem seu ponto alto no segundo domingo do ano.

A festa rende homenagem ao Chico Rei, personagem da história oral de Ouro Preto do século XVIII, rei e sacerdote africano, capturado pelos portugueses junto com sua família e súditos e enviado ao Brasil para ser vendido como escravo.

As celebrações giram em torno da Igreja de Santa Efigênia, ou Igreja de Santa Efigênia dos Pretos, que demorou 60 anos para ser construída, de 1730 a 1790, isso porque os escravos construíram o templo para si, e só podiam se dedicar ao trabalho de erguê-lo à noite, depois de trabalhar o dia todo. Conta-se que a igreja foi construída com o ouro extraído da Mina Encardideira do Chico Rei.

A programação é bem ampla, conta com cerca de 35 Guardas de Congado, Moçambique, Marujos, Caboclos, Catopés e Folias de várias regiões do Estado.

Fonte: 010 - assessoria

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias