Sabado, 03 de Fevereiro de 2018 - 10:38 (Colaboradores)

L
LIVRE

LENHA NA FOGUEIRA - DESFILE DAS ESCOLAS DE SAMBA 2018

A escola de samba Unidos da Rádio Farol foi a única, que ficou fora do rateio do subsídio, repassado pela prefeitura via Funcultural, para as escolas que vão se apresentar no dia 17


Imprimir página

A escola de samba Unidos da Rádio Farol foi a única, que ficou fora do rateio do subsídio, repassado pela prefeitura via Funcultural, para as escolas que vão se apresentar no dia 17, na Passarela do Samba Edson Fróes que será montada no Parque dos Tanques (Cidade da Cultura), no carnaval deste ano.

Já pensou! A turma dirigida pelo Cristóvão pisou na bola, ao não providenciar o Alvará de funcionamento da agremiação, cuja sede fica no bairro Panair.

É lamentável o que a direção da escola deixou que acontecesse. O pior de tudo, é que o Alvará é um dos documentos mais fáceis de se conseguir, pois, a burocracia não é tanta, basta estar em dia, em especial, com as normais ambientais,coisa que a Rádio Farol por falta de compromisso de seus dirigentes, não providenciou. A agremiação inclusive, é uma das únicas que tem “barracão” de alegoria próprio, infelizmente, num terreno que até bem pouco tempo, estava em litígio, por estar localizado na tal de Figura “A”.

A escola estava praticamente com tudo encaminhado para se apresentar no dia 17 deste mês no Parque dos Tanques. O enredo sobre a história do artista plástico João Zoghbi com o samba do Carlinhos Maracanã, inclusive com os carros alegóricos projetados e aprovados pelo homenageado. Aí na hora “H” a direção da escola não providencia o Alvará. Está fora do rateio e do desfile do dia 17. Uma pena!

Bom, a grana das escolas de samba foi depositada na última quinta feira 02; Cada agremiação do grupo especial recebeu R$ 93.750 MIL e as do grupo de acesso R$ 41.666, Mil.

Hudson Mamedes presidente da Fesec declarou que o recurso repassado não foi o esperado pelas escolas de samba, mas, diante da situação econômica pela qual passa o país, todos entenderam.

O fato do dinheiro ter saído agora, pouco tempo antes da data do desfile, não irá prejudicar as escolas, isto porque, segundo Hudson, as agremiações já vinham trabalhando para montar toda a estrutura – fantasia e carros alegóricos.

Esta é a primeira vez em que a Prefeitura repassa os recursos diretamente para as escolas de samba. É a primeira vez também, que as agremiações terão que prestar contas da utilização do dinheiro, cujo prazo, é de até dois meses após o encerramento do carnaval dia 17 de fevereiro. Aquela que não cumprir com essa obrigação, estará infringindo a lei e poderá ser impedida legalmente de receber recursos públicos em 2019.

O enredo da Acadêmicos do Armário Grande viajará no “Mundo Cultural das Lendas e Crenças da Região Norte”; a Acadêmicos da Zona Leste terá como enredo “Mentira – quem quiser que conte outra”; já o enredo da Diplomatas é “Mestre Severino, seus Caminhos e suas Histórias. Rondônia em Arte, Folclore e Folia”; A São João Batista homenageará Manelão. a escola de samba Asfaltão vai contar a história do sambista Bainha. Só quem não apresentou o enredo foi a Império do Samba.

Agora não tem mais chô rô rô. Lembrando mais uma vez a frase do Oscar: “Quem for podre que se quebre”.

A passarela do samba será montada pelo governo do estado de Rondônia através da Sejucel, com estrutura de arquibancada, camarotes, sonorização e iluminação no Parque dos Tanques (Cidade da Cultura) e será entregue a Federação das Escolas de Samba – Fesec pelo menos, dois antes dos desfiles: “É necessário esse prazo para que testemos o sistemas de sonorização e iluminação”, disse Hudson Mamedes.

Hoje tem o desfile do bloco “Até que a noite vire dia”. O Bloco do Mocambo. A concentração está marcada para as 20 horas na Praça São José.

Hoje tem a feijoada da Banda do Vai Quem Quer na sede da rua Joaquim Nabuco no centro de Porto Velho. É carnaval!

Fonte: 010 - Silvio Santos/NewsRondonia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias