Sexta-Feira, 23 de Fevereiro de 2018 - 07:03 (Colaboradores)

L
LIVRE

I - CONCEITO DA RELAÇÃO ESPÚRIA DENOMINADA PEDOFILIA - POR MAX DINIZ CRUZEIRO

O cérebro maturo é caracterizado pelo indivíduo em que suas conexões cerebrais saiu da fase de desenvolvimento para a vida adulta.


Imprimir página

A relação espúria denominada Pedofilia é um relacionamento de codependência entre uma mente matura e uma mente imatura. Está além da dependência que tece as relações pela explicação Freudiana que recai sobre o vínculo sexual. Ela estabelece uma relação de desigualdade no relacionamento entre capacidade de um lado, e incapacidade do outro de responder pelos próprios atos. É regido por princípios de descarga de energia, na forma de cargas de libido que são liberadas na correlação em que o comportamento entre cérebro maturo e cérebro imaturo estabelecem uma sintonia fina no padrão de influência cerebral.

O cérebro maturo é caracterizado pelo indivíduo em que suas conexões cerebrais saiu da fase de desenvolvimento para a vida adulta. Supõe-se que tal indivíduo já esteja suficientemente estabelecido e conectado as regras sociais, que seja capaz de discernir entre o que é benéfico e o que não é benéfico para a convivência conjugada com outros indivíduos de mesma espécie. Assim, o sujeito maturo é dotado de capacidade para responder aos atos que o pacto social estabelece um compromisso social de não desencadear comportamentos que estabeleçam relações internas de conflitos em outros indivíduos.

O cérebro imaturo é caracterizado pelo indivíduo em que suas conexões cerebrais ainda estão em processo gradativo de desenvolvimento. Supõe-se que tal indivíduo dependa do aprendizado e tutoramento de outros seres para que o desencadeamento do seu comportamento permaneça dentro de uma relação de equilíbrio que não prejudique o seu potencial de desenvolvimento quando chegar na maturidade de seu ciclo de vida.

A dependência é um vínculo que se estabelece em uma relação de forças que é desproporcional ou díspare entre as partes que se relacionam. Onde o indivíduo que está na parte projetiva de influência é capaz de manipular a fragilidade do ser que necessita de condicionamentos para que seu comportamento possa ser desencadeado sem grandes consequências que afetem o seu desenvolvimento.

O vínculo cerebral nas bases Freudianas estabelece que as relações humanas podem ser explicadas em termos de estrutura de comportamento através das expressões gênicas em volta da essência do pensamento sexual. Porém, para explicar a relação espúria denominada Pedofilia, há que se observar um contexto mais elevado, onde a percepção entre autor e subjugado estabelece-se dentro de um contexto social em que a expressão do comportamento em grupo também deve ser levada em consideração.

A desigualdade no relacionamento, percebido como uma inscrição social de capacidade é outra abordagem, como uma estrutura dimensional que não deve ser desprezada. Está sendo gerado um sistema de trocas, onde se estrutura a visão de um dominador, e a subtração de atributos de outro na forma de um indivíduo dominado. Um tipo de subtração de entendimento, e não de falta, onde a introdução do pensamento que manipula, retira o verdadeiro tipo de vínculo que deveria ser estabelecido numa relação de desiguais entre uma mente matura e uma mente imatura em suas fases corretas na linha temporal.

A libido, vista como uma carga de energia que flui sobre o sistema nervoso central para as partes periféricas do corpo, tem um nítido processo de atividade dentro deste modelo de relacionamento entre os desiguais na relação de codependência. É um tipo de energia viciante, que toma conta da mente do indivíduo que detém o poder na relação, e que retira o vínculo reflexivo, dos ensinamentos da sociedade, que o impede de perceber o mal que fabrica no fenômeno de cerceamento da liberdade no entendimento social da faixa etária do cérebro imaturo.

A sintonia fina é formada a partir da ruptura do aprendizado social dos codependentes, para um tipo de gradeamento onde as partes passam a gerar dependência de comportamento a partir de fabricação de laços produzidos a partir das interações e iterações do convívio social, geralmente invisíveis para outros indivíduos dentro da esfera de comportamento do cérebro maturo e do cérebro imaturo.

E quando a relação de codependência é firmada, a distribuição dos papéis, gera um padrão de comportamento, como uma estrutura de ativação de procedures e sequências de atividades humanos em que o par estabelecido fica cativo das ideias centrais em que a necessidade de descarga libidinal se estabelece numa dinâmica biunívoca em que cada parte tem seus interesses dentro do sistema de permuta de sensações, dentro da relação desigual de conhecimento social em sua sociedade.

A relação espúria denominada Pedofilia, vai muito mais além de uma desigualdade entre faixas etárias. Ela se estrutura num jogo de poder em que uma das partes gera uma relação de empoderamento sobre outra.

Ela está além da moral, mas é regida pelas relações que constroem a ética, dentro do que é razoável e aceitável na esfera dos relacionamentos.

Carece de cuidados, porque pode gerar grandes entraves para o desenvolvimento do cérebro imaturo, no sentido da extensão do laço que é mais frágil dentro do processo descritivo de relacionamento.

O vínculo sexual traz a experiência amarga, em que a falta de construções subjetivas para explicar o que a mente imatura não é capaz de absorver por falta de conexões, pode gerar o trauma, em que este indivíduo afetado na relação, quando o seu cérebro estiver maturo, poderá carregar as cicatrizes de um aprendizado precoce, onde anos de trabalho psicológicos podem ser necessários para que a angústia e todo o sentimento represado, possa fazer um sentido para explicar a experiência não nomeada que foi desencadeada numa época em que não havia base de entendimento para dizer se de fato a vontade desejada pelo cérebro imaturo teria um significado de verdade, em que a vontade tivesse uma base social, que fosse construída dentro de um princípio, modelo e parâmetro em que o sentido benéfico de existência fosse verificado.

A relação espúria denominada Pedofilia vai além das conexões cerebrais, da cultura, da identidade, do contexto sexual, dos discriminantes de moralidade e da vida relacional.

Fonte: 012 - Max Diniz Cruzeiro

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias