Quarta-Feira, 08 de Agosto de 2018 - 23:13 (Tecnologia)

L
LIVRE

FALHA NO WHATSAPP PERMITE MODIFICAR MENSAGENS COM A FERRAMENTA DE RESPONDER

Pesquisadores dizem que a brecha possibilita disseminação de mentiras. WhatsApp defende criptografia de ponta a ponta.


Imprimir página

A segurança do WhatsApp pode estar em xeque: segundo a empresa de segurança digital Check Point Research, uma brecha permite alterar o teor de conversas no mensageiro. Entre as possíveis ameaças está a proliferação de boatos, uma vez que as respostas de mensagens podem ser manipuladas por pessoas mal-intencionadas, modificando desde o conteúdo até o autor.


WhatsApp tem falha no sistema que permite manipulação de mensagens, segundo pesquisadores (Foto: Anna Kellen Bull/TechTudo)

A falha foi detalhada em um relatório publicado nesta terça-feira (8). Ao TechTudo, o WhatsApp explica que a "afirmação não tem nada a ver com a segurança da criptografia de ponta a ponta". Atualmente, o mensageiro conta com 120 milhões de usuários no Brasil.

O grupo de pesquisadores encontrou três ameaças. O comportamento mais nocivo tem a ver com a ferramenta de responder. Por exemplo, num chat em grupo, uma pessoa mandaria uma mensagem inofensiva. Já o usuário mal-intencionado poderia usar a função de responder para adulterar essa mensagem. O resultado final seria a resposta citando uma mensagem que não foi enviada originalmente pelo contato.

A mensagem original não sofre alterações. Ela permanece a mesma tanto no celular do emissor quanto do receptor. Ainda assim, poderia ser o suficiente para causar discórdia em grupos mais movimentados.

Outra possibilidade é o envio de mensagens para apenas um participante de um grupo sem que os demais recebam.

As interceptações foram possíveis devido a um algoritmo reverso que descobriu o funcionamento do sistema de criptografia ponta a ponta do WhatsApp. No entanto, é preciso ter acesso às chaves de sessão geradas pelo WhatsApp Web para que a modificação aconteça.


WhatsApp: falha permite alterar conteúdo de respostas no mensageiro (Foto: Reprodução/TechTudo)

O que diz o WhatsApp

O sistema de criptografia está disponível para todos os usuários do mensageiro e permite que apenas os envolvidos em uma conversa tenham acesso aos conteúdos de mensagens de texto, voz, vídeos e fotos trocados pelo app. Ao TechTudo, o WhatsApp explica que a falha não afeta o sistema de segurança e que realiza esforços contra a desinformação e fraudes. Leia a resposta na íntegra:

“Analisamos cuidadosamente este problema e é o equivalente a alterar um e-mail para que pareça algo que uma pessoa nunca escreveu. Essa afirmação não tem nada a ver com a segurança da criptografia de ponta a ponta, o que garante que apenas o remetente e o destinatário possam ler as mensagens enviadas no WhatsApp. Levamos o desafio da desinformação a sério e recentemente colocamos um limite no encaminhamento de conteúdo, adicionamos um rótulo às mensagens encaminhadas e fizemos uma série de alterações nos bate-papos em grupo. Bloqueamos contas que tentam modificar o WhatsApp para se engajar em comportamentos de spam e estamos trabalhando com a sociedade civil em vários países para educar as pessoas sobre notícias falsas e fraudes.”

Esforços contra as fakes news

Recentemente, o WhatsApp adotou medidas para conter a proliferação de notícias falsas. No começo de julho de 2018, o mensageiro anunciou 20 bolsas de estudo de US$ 50 mil (cerca de R$ 195 mil, em conversão direta) para conter o fenômeno sem afetar a privacidade dos usuários. Além disso, um aviso de mensagem encaminhada foi liberado para os usuários após uma atualização.

O mensageiro também passou a limitar a ferramenta de encaminhar mensagem após incidentes na Índia por conta de boatos sobre supostos traficantes que estariam sequestrando e vendendo crianças. Ao menos cinco casos de violência e mais de 20 mortes foram registrados no país asiático.

Com informações: Check Point Research

Fonte: techtudo

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias