Sexta-Feira, 20 de Maio de 2016 - 15:09 (Pecuaria)

L
LIVRE

EMBRAPA RONDÔNIA FORTALECE O SISTEMA DE PRODUÇÃO DE LEITE DO ESTADO COM CAPACITAÇÃO CONTINUADA

Para o médico veterinário da Emater de Ouro Preto do Oeste (RO), Vinícius Oliveira, o nível de qualidade do curso é alto e o aprendizado está sendo grande.


Imprimir página

Nos dias 17, 18 e 19 de maio a Embrapa realizou nos municípios de Ji-Paraná e Presidente Médici, ambos em Rondônia, a segunda etapa do Curso Modular em Sistema de Produção de Leite – Nutrição de Bovinos Leiteiros, com atividades teóricas e práticas para os 28 técnicos participantes. Para o médico veterinário da Emater de Ouro Preto do Oeste (RO), Vinícius Oliveira, o nível de qualidade do curso é alto e o aprendizado está sendo grande. “Participei do primeiro módulo e vou fazer os demais. Uma oportunidade de ter acesso às informações e tecnologias atualizadas e com profissionais altamente qualificados”, comenta.

Quanto ao formato da capacitação, que é continuada, o médico veterinário complementa que fortalece a cadeia produtiva e melhora a transferência de tecnologias para os produtores. “Com este tipo de capacitação a Embrapa demonstra sua preocupação com o repasse de informações e tecnologias para a sociedade e se coloca aberta às discussões levantadas pelos atores da cadeia produtiva do leite, isso soma muito e melhora os resultados de todos”, conclui.

Na programação deste segundo módulo foram realizadas visitas ao Laboratório de Nutrição Animal da Unir, em Presidente Médici, para práticas relacionadas ao conteúdo programado, assim como também foram realizadas apresentações dos temas: noções básicas de anatomia e fisiologia digestiva dos bovinos; alimentos para bovinos de leite; avaliação de alimentos para ruminantes; exigência nutricional de bovinos leiteiros; apresentação dos resultados da prospecção de demandas; e formulação de ração. Os palestrantes desta etapa foram a pesquisadora da Embrapa Rondônia, Ana Karina Dias Salman, e os professores da Universidade Federal de Rondônia, Jucilene Cavali e Marlos Oliveira Porto.

Este Curso Modular teve início no mês de abril e deve continuar ao longo deste e do próximo ano. Trata-se de um novo formato de capacitação da Embrapa Rondônia, o modular, em que os mesmos técnicos, representantes de toda a cadeia produtiva do leite no estado (pública e privada) participam das ações continuadas e terão conhecimento teórico e prático mais completo e aprofundado, levando aos produtores e aos seus pares as tecnologias já disponibilizadas pela Embrapa e as recomendações adequadas para o desenvolvimento sustentável da agricultura em Rondônia. Ao todo serão 136 horas de cursos que vão de abril de 2016 a fevereiro de 2017 e, para ministrar estas capacitações, uma equipe qualificada de profissionais da Embrapa de todo o país e de outras instituições está sendo mobilizada.

“Os participantes têm à disposição tecnologias e informações atualizadas transmitidas por especialistas nos assuntos que serão abordados. Desta maneira fortalecemos o elo com o setor produtivo e o acesso deles às tecnologias já disponíveis, com o objetivo de maximizar a eficiência produtiva das propriedades”, destaca o médico veterinário da Embrapa Rondônia, Rhuan Lima, que coordena a capacitação modular.

Os participantes são técnicos de diversas instituições e empresas voltadas para o setor: Ampliari, Associação de Produtores Rurais de Ouro Preto do Oeste - ASPRUMOP, laticínio DJM, Escola Família Agrícola Itapirema, Emater-RO, laticínio Italac, Laticínio Jóia, Secretaria de Agricultura do Município de Porto Velho e Jaru e Senar-RO. A ação teve início com o Sistema de Produção de Leite, mas deve futuramente abranger cursos em todas as áreas de atuação da Embrapa Rondônia no estado: café, florestas e produção vegetal.

A pecuária leiteira em Rondônia

No estado de Rondônia a pecuária leiteira tem grande relevância econômica e social, com a mão de obra empregada nas propriedades basicamente familiar. A produção de leite do estado apresentou crescimento na última década, entretanto este aumento se pautou, em grande parte, do aumento de áreas exploradas e de rebanho, sendo ainda considerada como uma produção de baixo nível tecnológico. Apesar do baixo índice de adoção de tecnologias, Rondônia figura como o 8° estado brasileiro em produção de leite, o maior produtor da região Norte, com cerca de 48% da produção da região (IBGE, 2015), o que demonstra o grande potencial de crescimento da pecuária leiteira no estado.

A adoção de tecnologias básicas, recomendadas para as condições específicas do estado, propiciará exponencial ganho de produtividade aos pecuaristas rondonienses. “Se Rondônia já figura como grande produtor nacional de leite com baixa utilização de tecnologias e sistemas de produção inadequados, imaginemos onde poderá chegar com a adoção de tecnologia”, comenta Rhuan Lima, complementando que “É neste sentido que são definidas as estratégias de transferência de tecnologias da Embrapa Rondônia, com foco na capacitação de profissionais que atuam em assistência técnica e extensão rural, capazes de difundir e multiplicar o alcance dessas tecnologias”.

Fonte: embrapa imprensa

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias