Terça-Feira, 19 de Dezembro de 2017 - 13:15 (Artigos)

L
LIVRE

CUIDADO COM AS COMPRAS DESNECESSÁRIAS EM DEZEMBRO - Por Agnaldo Nepomuceno

Ao chegar ao final de ano todos nós somos tomados pelo clima das compras. Existe uma aura contagiante que muitas vezes nos levam a gastar mais do que podemos.


Imprimir página

Confraternizações, viagens, amigos ocultos, corro de som anunciando menores preços, promoções, gente circulando com sacolas, inúmeras ofertas,enfim todo tipo de apelação que nos leva a comprar e comprar. Muitas vezes compramos algo desnecessário, supérfluo, que depois nem usamos, mas a fatura vem e temos que pagar.

Após o mês de dezembro vem um novo ano e uma nova realidade. Janeiro é um mês com muitas contas a pagar, faturas de cartão de crédito, limite de cheque especial, impostos, material escolar, enfim nos daremos contas do quanto gastamos e do que, ainda precisamos gastar. Alguns chegam ao ponto de até de vender um bem valioso por preço mais baixo, tudo para quitar as contas atrasadas. Outros são obrigados a renegociar as dividas com juros altos ou pagar o mínimo da fatura do cartão e arcar com juros estratosféricos.

Para evitar todo esse transtorno é necessário que o consumidor tenha consciência de suas possibilidades financeiras e só compre o necessário ao seu bem-estar sem ir além de suas condições e, assim, não comprometer seu orçamento futuro. Comprar por impulso não é um bom negócio.

Em época de festas aumenta a compra de alimentos. Muitos fornecedores fazem promoção, neste caso o consumidor deve ficar atento e, antes de comprar, verificar as condições adequadas do produto e principalmente a data de validade. Caso a data de validade esteja próxima compre somente a quantidade necessária ao consumo até a data de validade, pois produtos vencidos poderão acarretar problemas de saúde.

No caso de produtos em promoção o consumidor deve ficar atento na hora de passar na máquina registradora e verificar se o preço da etiqueta é o mesmo que está sendo registrado.

É direito do consumidor reclamar sempre que adquirir um produto impróprio para o consumo, a exemplo de produtos deteriorados, que apresentam sabor, cheiro, ou aparência diferente do habitualmente esperado. Neste caso o consumidor poderá escolher a substituição do produto por outro da mesma espécie em perfeitas condições de uso ou a restituição imediata da quantia paga, monetariamente atualizada, sem prejuízo de eventuais perdas e danos.

Sempre que o consumidor tiver problemas de saúde em razão do consumo de algum produto, a exemplo de cólicas, vômitos, diarreia deverá procurar atendimento médico e solicitar relatório descrevendo os sintomas e as causas. De posse do diagnóstico comprovando que o problema decorreu do consumo do alimento, o consumidor poderá pedir o reembolso de todas as despesas decorrentes do atendimento médico e medicação que por ventura tenha comprado. É necessário a comprovação das despesas, por isso é importante exigir e guardar a nota ou cupom fiscal.

Fonte: 010 - Agnaldo Nepomuceno/NewsRondonia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias