Segunda-Feira, 29 de Janeiro de 2018 - 15:12 (Colaboradores)

L
LIVRE

CONCEITOS FUNDAMENTAIS DE NEUROCIÊNCIAS: VIAS ASCENDENTES E MECANISMOS CENTRAIS DA DOR

O baixo poder de localização da dor remete a complexidade com que as fibras nociceptivas se segmentam


Imprimir página

Através da transdução, salvas de potenciais de ação são geradas a partir de estímulos químicos, mecânicos ou térmicos desencadeados sobre os nociceptores. Para este processo são utilizadas fibras Aσ e C como nervos periféricos que penetram na medula pelos nervos espinhais e no tronco encefálico como por exemplo, este último, através do trigêmeo. As fibras entram pelo nervo dorsal ramificando em ramos ascendentes e descendentes que penetram no corno dorsal nos segmentos medulares.

O baixo poder de localização da dor remete a complexidade com que as fibras nociceptivas se segmentam. Os corpos neurais de transmissão da dor estão localizados nos gânglios espinhais e no gânglio trigêmeo, como submodalidades somestésicas.

Em várias lâminas do corno dorsal da medula e do núcleo espinhal do trigêmeo localizam-se os neurônios de segunda ordem, capazes de gerar sinapses excitatórias dos aferentes de primeira ordem e outras codificações da vizinhança. Que conjugados integram o sistema que desperta a sensação de dor.

Muitos aferentes primários da dor, pontua Lent, fazem sinapses especificamente com neurônios da lâmina 1 da medula, no corno dorsal, integrando o sistema somestésico interoceptivo.

Os axônios dos neurônios de segunda ordem cruzam o lado oposto dentro da medula nos segmentos que entram os aferentes primários incorporando aos feixes espinotalâmicos na medula pela coluna anterolateral, estas por sua vez, transportam fibras do tato e fibras da termosenssibilidade.

Lent complementa que os feixes espinotalâmicos ascendem por toda a medula até o tronco encefálico, onde se encontram com fibras nociceptivas de segunda ordem no núcleo espinhal do trigêmeo formando o lemnisco espinhal.

No trecho biológico descrito no parágrafo anterior, as fibras de dor rápida (Aσ) e de dor lenta (C) não estão separadas o que não impede a sua classificação distinta em: neospinotalâmico ou espinotalâmico lateral (dor rápida); e, leospinotalâmico ou espinotalâmico medial (dor lenta).

Algumas fibras do sistema nociceptivo terminam em regiões do tronco encefálico, na formação do núcleo reticular, núcleo parabraquial e grísea periaquedutal, no quais as reações comportamentais costumam a ser desencadeadas, além das fisiológicas à dor.

O núcleo talâmico posterior e o núcleo talâmico ventral posterior se encarregam dos impulsos da dor rápida, condicionados ao funcionamento dos neurônios de terceira ordem, ondem os axônios atingem as áreas S1 e S2.

Lent sugere a existência de uma via direta para a dor a partir deste sistema por meio de três neurônios e duas sinapses antes do córtex. É muito importante esta colocação de Lent porque sinaliza o aspecto determinante para a localização da dor, onde se pode construir e identificar uma correlação entre estímulo e localização espacial (extensão da pele acionada).

 

Assim, a dor rápida é um importante instrumento para afastar uma pessoa de uma zona ou ação limítrofe cujo estímulo desencadeado é nocivo para o organismo.

Na dor lenta o estímulo nocivo para, mas seus efeitos perduram por uma certa medida temporal dificultando uma localização precisa, porque se movimenta em ondas reativas de sensações corporais de dor. Internamente, muitas variações de reações orgânicas ocorrem neste processo, além de reflexos de retirada, geralmente observados em episódios onde se manifesta uma dor rápida. O interno, na forma de cógnito pode manifestar na dor lenta o sofrimento.

Após o acesso à dor lenta, seus efeitos não cedem enquanto o efeito direto da proporção do estímulo aplicado não for integralmente absorvido. O processo inflamatório passa a amplificar a dor sinalizando alterações cardíacas, alteração do ritmo respiratório, sudorese, mal-estar, alterações digestivas, e talvez um intenso sofrimento.

 

A dor se espalha sobre o corpo, por isto a localização de onde se parte o estímulo é desconhecida, ou se encontra dificuldades para uma organização do tratamento.

Lent adverte que na angina do peito ou na dor do infarto, por exemplo, é comum a dor no braço ou no estômago. Um cálculo biliar provoca dor no abdome e no alto das costas. Esse efeito transacional da dor é conhecido por dor referida.

Na dor referida ocorre uma difusão e indistinção dos mecanismos que gerem ou formam a dor visceral. A dor visceral possui vários trajetos. Um deles acompanha a via anterolateral, e outra via recém descoberta está na região mediana do H medular, onde esta última traz axônios posicionados na coluna dorsal.

Já os axônios que conduzem a dor das vísceras abdominais ocupam um fascículo no plano da medula dorsal, e, os aferentes cujo vínculo é a dor das vísceras torácicas são encaminhadas pelo septo entre os fascículos grácil e cuneiforme. Os pacientes com câncer abdominal são submetidos a processos cirúrgicos a partir desta informação cuja intervenção sugere ao médico interromper o fascículo mediado da coluna dorsal a fim de aliviar a dor extrema.

Fonte: 012 - Max Diniz Cruzeiro

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias