Sexta-Feira, 09 de Março de 2018 - 18:38 (Saude)

L
LIVRE

AGEVISA REALIZA CAMPANHA DE EDUCAÇÃO E SAÚDE PARA ALERTAR SOBRE PERIGOS DA RADIAÇÃO EM RONDÔNIA

Outra questão abordada na campanha educativa é que a solicitação do raio X seja justificada.


Imprimir página

Todo dia pacientes são expostos ao uso de aparelhos que emitem radiações ionizantes, geralmente, eles não sabem que elas podem causar sérias consequências nas células humanas.  A Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa) faz um alerta à população através da campanha de educação e saúde  “Raio X Consciente, Segurança do Paciente” no sentido de mostrar que o raio X desnecessário pode trazer consequências desagradáveis ao paciente; que hemogramas, ultrassons, ressonância magnética e outros exames, são alternativas que podem substituir o raio X; e os cuidados e normas das instalações da sala de radiologia.

Outra questão abordada na campanha educativa é que a solicitação do raio X seja justificada. Conforme explicou o inspetor sanitário Leonir Pereira Lobo, gerente de Radiologia Ionizante da Vigilância Sanitária do Estado, o raio X é um mal necessário que deve ser somente realizado em situações extremas, como por exemplo, uma suspeita de fratura no osso de um paciente que vai realizar uma cirurgia, onde o médico precisa saber exatamente o local que foi fraturado.

“Antigamente se utilizava o raio X para descobrir se uma pessoa tinha tuberculose. Hoje em dia a doença pode ser detectada com outros exames, como o de escarro ou de baciloscopia que faz uma análise direta da secreção excretada pelos pulmões”, destacou Leonir Lobo.

Segundo ele, outra situação de alerta é com relação às crianças de até cinco anos que quando chegam às unidades de saúde com febre, catarro nasal,  sintomas muitas vezes de virose, são logos submetidas ao raio X e os exames alternativos são deixados de lado. “Nesse caso os pais devem saber que a radiação é perigosa e se for mesmo necessário fazer o exame que seja utilizado à proteção para segurança necessária tanto de quem vai fazer o exame como de quem acompanha o paciente”, acrescentou.

O trabalho de educação e Saúde que a Agevisa vem realizando é para melhorar a qualidade dos serviços ofertados à população, reforçar que os profissionais revejam seus conceitos na hora de solicitar um raio X do paciente; que a população saiba dos perigos do raio X; e que técnicos e radiologistas utilizem os Equipamentos de Proteção Individual (EPI).

A Agevisa também vem inspecionando as instalações das salas de radiologia, uma vez que a falta de cuidados na instalação permite o vazamento de radiação e quem circula pelo local está exposto aos raios X, sem controle, e sem saber dos perigos.

Fonte: 015 - Secom - Governo de Rondônia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias